quinta-feira, 22 de outubro de 2009

LUZ AZÚL...


O azul que adorna a minha incerteza

Ainda cinzento permanece

O Sol embora brilhe

Está ofuscado, pela densa neblina

Que o meu coração contem 

Quero afastar essa nuvem

E dar lugar ao Sol, e á claridade

Mas tudo…

Continua difuso, e nubloso

Quero um novo chão para pisar

Firme e seguro

Mas dentro dessa casa

Continua tudo sombrio e bafiento

A luz…demora a entrar

Ofuscada pela cheio a bolor,

Que se mantém

Apesar da ténue luz 

Que está à espreita

Descerro a lápide que me atormenta

Quero sepulta-la para sempre

Quero renascer

Embora uma luz ténue brilhe…

Está ainda ofuscada, pela escuridão.



4 comentários:

Alvaro Oliveira disse...

Amiga Princesa

Por certo que a nivem que ofusca
essa luz azul, em breve se dissipará. Então sol brilhará
intensamente e o azul que adorna
sua incerta, terá mais cor.
Encontrará por certo esse novo chão
para pisar firme e segura.
Que a esperança prevaleça em seu
coração.

Lhe desejo um lindo dia.

Beijinhos

Alvaro

Agulheta disse...

Princesa. Por vezes as luzes se ofuscam de sombras,mas sempre aparece a claridade e lindas cores.
Beijinhos.

manuel marques disse...

A claridade é uma justa repartição de sombras e de luz ...

Beijo-

Sonhadora disse...

Lindo o seu poema
Vou voltar mais vezes
Abraço