terça-feira, 7 de dezembro de 2010

~~º~~ Folha secas ~~º~~


Folhas amareladas,
caindo sobre a relva,
tortura-nos com barulho
sombrio, seco, imitando
gemidos intermitentes...
Rumores sem eco,
lamento triste e melancólico...
O vento aumenta devagar,
brinca e as faz voar...
Não há ninguém para olhar
seus desenhos abstratos,
somente o vazio e
os seus próprios ruídos,
que ferem os corações...
Martirizam a alma...
Nada para se dizer ou comentar.
São vidas que passaram
sem traços ou lembranças,
sem passado para recordar
e um presente em que são apenas
Folhas secas!...


3 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema muito belo, na sua melancolia.

São vidas que passaram
sem traços ou lembranças,
sem passado para recordar
e um presente em que são apenas
Folhas secas!...

Como eu sei do que falas

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

manuel marques disse...

Belíssimo.

Beijinho.

silvo disse...

"Hojas del árbol caídas
juguetes del viento son:
Las ilusiones perdidas
¡ay! son hojas desprendidas
del árbol del corazón".

Escribía Jose de Esproceda, y las hojas de tu bello poema llevan el mismo camino ya que no neraizan en ninguna parte, beijinhos